Bolinho de chuva

4.7.16

Não é à toa que o nome destes bolinhos é 'de chuva'. Para mim, eles são o complemento perfeito para aqueles dias cinzentos, em que a água teima em cair do céu e inundar as ruas. Quer dizer, nem precisa rolar uma chuva torrencial para eu me lembrar deles; qualquer chuvisco já me faz querer correr para casa, entrar debaixo das cobertas, assistir a um filme romântico-meloso e devorar um prato destes bolinhos.

Eu queria descobrir o mistério por trás de receitas assim. Como é que um bolo, inventado por sei-lá-quem, de repente estabelece uma associação tão íntima com a gente? Desperta tantas memórias? Traz à tona uma sensação tão gostosa de aconchego? É quase como colo de vó...

Nhoque de ricota

28.6.16

Eu, que adoro nhoque, nunca tive coragem de fazê-lo em casa. Sempre comi na rua, na casa da minha mãe, na minha tia de coração. Mesmo amando o prato, todas aquelas etapas, toda aquela trabalheira, toda aquela sujação me desanimavam.

O que é uma pena. Nada mais triste do que me ver travada com uma receita por medo de errar.

Até que apareceu esta versão maluca e originalíssima da Rita Lobo (sempre ela!).

Bolo suflê de chocolate

19.6.16

Suflê é bom. De queijo, de cenoura, de couve flor... Hum! Amo para sempre! E agora descobri que tem suflê de chocolate!!!! Pirei! Assim que soube desta receita, precisei fazê-la!

É claro que ela é da maravilhosa Rita Lobo! Ô, mulher talentosa! E fica tão, tão boa!