O clássico frango ao curry

31.10.13

Tinha tanto tempo que eu não sentia o cheiro de curry pela casa... Praticamente uma eternidade!

Não sei por que deixei passar tanto tempo. Afinal, ele perfuma a cozinha como poucos (o melhor cheiro, para sempre imbatível, é o de cookies recém-assados. Em segundo lugar, vem o cheiro de cebola e bacon refogados).

Preguiça? Não. Muito trabalho? Nada. Acho que estava ocupada testando outro tipo de receitas, umas bem engordativas, cheias de cremes e caldas. Sabe como é, né?

Viva a comida brasileira!

30.10.13

Eu adoro viajar para o exterior. Principalmente, para os Estados Unidos e a Europa. Adoro não só pela oportunidade de conhecer coisas novas, passear, mergulhar fundo em uma cultura diferente, mas também por poder experimentar novas comidas e ingredientes fabulosos (na verdade, este é o motivo que mais pesa à hora de viajar. Juro).

Niçoise moderninha

29.10.13

Confesso. Estou me sentindo enganada. Não pela receita. Não. Pelo cara da peixaria. Rodei para achar posta de atum. Quando encontrei, o preço do quilo era exorbitante. Ainda assim, comprei. Afinal, precisava testar a receita. Quer dizer, preciso cuidar daquilo que como. Saúde, saúde, saúde.

Assim que ele me entregou a posta, achei escura demais. Ele disse que "atum é assim mesmo". Peguei com cara de desconfiada e fui para o caixa. Só que ao ver meu prato pronto, fiquei brava. Meu atum não estava clarinho como o da foto! E jamais poderia ter ficado... Acho que me venderam atum pouco fresco. Quer dizer, tenho certeza.

De volta e a ponto de bala

28.10.13

Nem parece, mas já se passaram 15 dias! Minhas lindas férias, tão sonhadas, tão aguardadas, foram-se (prometo depois postar dicas de Roma e Madri)!

Confesso que, apesar do descanso (merecido), sinto uma preguiça avassaladora de voltar para o trabalho. Meu corpo está tomado de uma lerdeza acachapante (talvez a culpa não seja do emprego, mas dos quilos a mais por conta das pastas e paellas. Rs!)... Eu sei. Pura picaretagem (menos a parte dos quilos a mais. Sério. Vergonhoso. Vou até ter que malhar. Hunf!).

Pão de manjericão

10.10.13

A receita de hoje é um exemplo de como a cozinha nos aproxima de quem amamos. De como nos traz felicidade. De como cria laços íntimos e duradouros. Quando digo que a cozinha tem o poder mágico de nos fazer melhores, não falo à toa. Eu ainda nem provei esse pão, mas posso dizer que ele é, no mínimo, especial.

Naked cake com frutas vermelhas

7.10.13

Meu último post trazia uma foto maravilhosa do bolo mais lindo dos últimos tempos (quem ainda não viu, clica aqui)! Agora, preparem-se para uma versão bem menos bonita do que a original, mas, seguramente, tão gostosa quanto! É que rolaram vários percalços durante a execução da receita...

É hoje!

4.10.13

Tem meses que eu namoro os naked cakes.

Quer coisa mais linda do que um bolo de verdade? Daquele que se mostra inteiro e dá a cara a tapa? Não quero ofender ninguém e sei que hoje isso é quase uma exigência dos bufês (e não um pedido da noiva), mas eu tenho pavor daquela maquete de bolo nos casamentos! De que adianta colocar aquela "obra-prima" na mesa? Só para garantir a foto? Então o que vale é o que a coisa parece ser, não o que ela é?

Espaguete com camarões

3.10.13

Quer fazer uma pessoa feliz? Dê a ela camarão.

Cozido no bafo, assado com ervas, frito no alho, perdido no meio de um escondidinho indecente... Ah! De salivar! Com um ingrediente tão sensacional, que receita não fica incrivelmente boa? Sei que também falo isso a respeito do cogumelo e da berinjela. Mas é a pura verdade. Eles são especiais. Es-pe-ci-ais. E o camarão definitivamente faz parte dessa lista vip.

Por uma vida menos gourmet

1.10.13

Eu adoro cozinhar. Acho que todos vocês já perceberam isso, né? :) E adoro cozinhar de tudo: doces, salgados, pães, bolos... Quer dizer, desde que seja uma receita executável.

A coisa que mais me tira do sério na cozinha são aqueles pratos tão difíceis de executar que só o Senhor Miyagi da culinária, em dia de sorte, dá conta de fazer. Quer dizer, até então.

Acabei de descobrir que tem uma coisa no mundo gastronômico que me irrita mais do que um prato complicado. É a tal da comida gourmet.