Salada de lentilha

27.12.13

Ufa. Está aí o último complemento do cordeiro marroquino. Desculpem-me pela demora, mas este fim de ano foi super corrido. Não me lembro de um Natal (e um pré-Natal) tão atolado!

Bom... voltando à salada! Ela é deliciosa. Com ou sem cordeiro.

Salada de abobrinha

26.12.13

Fiz esta salada para acompanhar o tal cordeiro marroquino maravilhoso! E não é que gamei?

Então é Natal

24.12.13

O Natal chegou! Minha data favorita do ano todo!!!!

Tão bom ficar com a família. Tão bom comer até não poder mais. Tão bom jiboiar no dia seguinte.

Nesta data, adoro passar o dia à toa. Vendo filmes. Jogada no sofá. Mas, desde que cresci, tenho assumido responsabilidades na cozinha, por vontade própria. Afinal, não é segredo pra ninguém que amo cozinhar.

Salada de cuscuz marroquino

23.12.13

Prometi e estou cumprindo. Segue o primeiro acompanhamento do cordeiro top da semana passada! Serve seis pessoas.

Um balanço realista

23.12.13

Eu sei que 2013 ainda não terminou. Falta pouco, mas ainda temos que nos aturar por mais alguns dias. Digo aturar porque nossa convivência não foi nada fácil. Em alguns momentos, foi intolerável.

Tudo bem. Não sou criança. Sei que os relacionamentos são feitos de altos e baixos. Todos relacionamentos. Mas os baixos foram muito baixos. Ou talvez os altos não tenham sido assim tão altos (com exceção de um pico do Everest, o nascimento da minha afilhada).

Cordeiro marroquino

18.12.13

Foi assim. Eu queria fazer um jantar de fim de ano bem especial para um grupo de amigas incríveis! E quase arranquei os cabelos tentando pensar em algo que as deixasse maravilhadas (como é duro agradar gente com bom gosto!).

Sofri. Sofri. Sofri. Até que encontrei essa receita de cordeiro da Rita Lobo. Fiquei feliz com o achado, até ouvir de uma das convidadas: cordeiro? Ai, que corajosa! Acho tão difícil! Bastou para que tremesse nas bases. Mas aí não tive ideia melhor e resolvi encarar.

Relacionamento em crise ou fim da linha?

9.12.13

Não anda nada fácil. Nada. Sinto os dias se arrastando. Como se estivesse presa em um sono letárgico. Enquanto as coisas desmoronam bem lentamente, busco saídas, meio tonta, meio perdida.

Para os outros, finjo que vai tudo bem. Mas a verdade é que não vejo luz no fim do túnel... e isso é desesperador.

Heróis de carne e osso

6.12.13

O meu lance com a Nigella foi amor à primeira vista. Apaixonei-me instantaneamente pela comida dela. Fácil, com muita coisa pré-pronta e calórica. O tipo de comida que gosto de botar pra dentro quando chego em casa. O tipo de comida que me inspira a ir pra cozinha. O tipo de comida que dá gosto preparar para aquela reuniãozinha só das amigas.

Nada contra as comidas saudáveis. Particularmente, adoro o Ottolenghi e outros chefs naturebas! Mas é meio fora da casinha não cozinhar nada de gordo (meio triste até).