Obrigada, 2014

31.12.14

Eu não comprei um carro novo. Não fui morar em um apartamento maior. Não construí uma casa, nem reformei a atual. Não troquei de emprego. Não fui promovida. E nem obtive reconhecimento profissional.

Não fui pedida em casamento. Não juntei. Nem me apaixonei.

Não engravidei, nem tive filho. Não plantei árvore. Não resisti (pela enésima vez) e tranquei a academia. Não perdi um quilinho sequer. Nem avencei no projeto "seque sua barriga". Pelo contrário.

Brownie definitivo: o melhor da história

29.12.14

Ca-ra-le-ô. Estou sem ar. Acabo de fazer história. História!

Encontrei a receita definitiva de brownie. Tudo bem. Meu mérito foi só achá-la (e testá-la). Mas isso já deve ser considerado um feito.

ACHAR a receita definitiva de uma receita tão popular, tão diversa, com tantas possibilidades é inacreditável. Estou absofuckinglutely feliz! :)

Bolo fofíssimo de chocolate

28.12.14


Esta é uma daquelas receitas simples. Simplérrimas. E que acalmam o coração. Apesar de não ter calda. Ou recheio. Ou leite condensado. E, em vez de leite, leva água.

Bolo de amêndoas com tangerina: um Feliz Natal!

23.12.14


O Natal é, sem qualquer sombra de dúvida, minha data favorita do ano. Ganha disparado até mesmo do dia do meu aniversário.

Não que tenha horror a celebrar a data em que nasci (na verdade, gosto muito!). Ou que eu tenha qualquer trauma com o dia. É que o aniversário tem um quê de egoísmo. É o SEU dia. Todo mundo TE liga. Legal, massa. Bom se sentir amado, lembrado.

Mas no Natal... É o dia em que TODOS celebramos juntos o nascimento de uma outra pessoa especial. Nos abraçamos. Comemoramos o milagre de estarmos vivos. Comemos. Bebemos. Comemos. Comemos um pouco mais (ai, meu estômago). Trocamos presentes (o que, com o passar dos anos, muda de significado. É menos sobre o presente e mais sobre a troca em si). Sei lá.

Cookies não assados

22.12.14

Antes que você faça cara feia para o título, pense bem. O que você acabou de ler não é nojeira ou nonsense. É praticidade. Eficiência. E a oportunidade de ter prazer de imediato (como poucas vezes a vida permite). É a chance de comer um biscoito delicioso, com gosto de colo, sem ter que esperar pelo forno (que insiste em nos fazer de bobas).

Lembra como era na infância? A gente morria de nervoso até o bolo de cenoura ficar pronto (e ainda tinha que esperar esfriar pra não ter dor de barriga!)!!

Labneh com pistache

21.12.14


Eu admito. Estou oficialmente viciada em labneh. E olha que começou de maneira despretensiosa. Não era possível prever minimamente que viraria um caso de amor incorrigível.

Acho que tem a ver com o fato de a primeira receita que fiz ser muito complexa. Era preciso comprar o leite de saquinho e os lactobacilos para produzir, primeiro, meu próprio iogurte. Que depois viraria iogurte grego. E que só então viraria labneh. Coisa de uma semana de espera (ainda bem que não sou de roer unhas). Até ver o sonho se materializar.

Comida que não sai de moda

15.12.14

Dia desses fui a um restaurante novo na cidade. Badaladinho. Com uma proposta ousada. Interessante. E dei carta branca ao chef.

Gosto de ser surpreendida, sabe? Ajuda a conhecer melhor o que há por trás de quem cozinha. E me força a provar coisas diferentes. O problema é que o risco é grande.

Lava cake

11.12.14


Esta receita estava no fim da lista de posts a serem publicado. Não porque é a mais fraca das elencadas. Mas sim porque foi a última que testei (tirada do livro da Rachel Khoo, A Pequena Cozinha em Paris). Então, por respeito às demais, ela foi parar no fim da fila.

Compota de tomate-cereja e baunilha

9.12.14

A gente tem um monte de ideias pré-concebidas. Isso não pode. Isso não faço. Isso não combina com aquilo.

E é assim na vida, no trabalho, no amor. E na cozinha.

São vários nãos antecipados. Que fecham um monte de portas. Com certeza, fica de lado alguma experiência desagradável, o que é bom. Mas também perdemos coisas lindas. Essa poderia ser a história da receita de hoje.

Geleia de manga, maracujá e limão

8.12.14

Tem algo de mágico em fazer geleia. É quase uma gravidez (rápida, é verdade, se comparada à tradicional), com direito a parto e tudo. No início, são frutas lindas, maduras. Minutos (ou horas) depois, elas se transformam em uma calda espessa e luxuosa. É incrível demais vê-las ganhando novas formas.

O processo me traz tanta felicidade que tenho vontade até de me banhar em geleia. :)

Bacalhau do Velho Macedo

2.12.14


Uma das melhores partes de qualquer viagem é a comida. Sou quase obcecada com provar coisas novas, sentir aromas diferentes, testar combinações exóticas... Pra isso, é legal se planejar.

Não quer dizer que quem não se organiza obrigatoriamente come mal. Mas eu prefiro não contar com a sorte. Também não estou falando em determinar, antes de sair de casa, exatamente onde vai se fazer cada refeição. Menos. Basta pegar dicas com quem já esteve no lugar, ler um guia, fuçar blogs... E sair de casa com uma lista básica (de preferência, separada por bairros)! Assim, dependendo de aonde estiver passeando, já sabe o que tem de legal na região.

Cookies do Vinny

29.11.14

Algumas coisas nunca são demais. Por exemplo, receitas de cookies. É bom demais saborear, cada vez, uma versão diferente. Uma com gotas de chocolate; outra, com aveia... Mas, claro, temos sempre nossas favoritas. E as minhas, até o momento, são duas.

Uma, da Nigella, que é um cookie triplo de chocolate (já publicada aqui no blog). A outra é a receita de hoje, do Vinny, amigo da família! Ela é simples, mas supersaborosa! Sempre que faço, é sucesso completo (e imediato)!

A chuvosa e empolgante Seattle

18.11.14

Achei que passaria os dias amparada por um guarda-chuva. Mas Seattle deve ter sentido pena de mim. Fui presenteada com dias lindos (ou então ela teve uma atitude egoísta apenas para garantir um feedback positivo no blog. Vai saber). Bem da verdade, dizem que lá nem chove tanto assim. Seja como for, esteve bom. Quer dizer, esteve ótimo.

Eu amei Seattle. Simples assim.

Cidade despretensiosa. Cool. Interessante. E cheia de programas legais.

Couve-flor assada

20.10.14

Sabe aquele prato que só a sua mãe sabe fazer? Um bolo. Uma torta. Um assado. Inexplicavelmente bom, ele era (é) motivo de briga entre os irmãos.

Eu tenho a memória recheada de receitas marcantes. Mas nada que tenha gerado briga, afinal minha mãe sempre cozinhou quantidades inenarráveis de comida (apesar disso, cobrava com ardor que fôssemos todas magras).

Quando penso em uma receita que vale uns bons tapas (rs), imagino alguma coisa com calda de chocolate. Ou uma massa afogada em um molho dos deuses. Ou uma costelinha com farofa. Mas, acredite se quiser, há quem brigue por verdura.

A pacata e surpreendente Vancouver

6.10.14

Eu esperava chegar lá e encontrar uma cidade grande. E o que encontrei foi uma cidade relativamente pacata, com ares de interior.

Esperava uma cidade recheada de restaurantes maravilhosos. Mas pouca coisa surpreendeu meu paladar.

Esperava ver uma cidade verde. Certo, em partes, graças ao lindo Stanley Park.

Imaginava uma cidade bem cuidada. Mas vi muito mais gente dormindo na rua do que poderia imaginar.

E tinha também o cheiro de maconha. Por todas as partes.

Essa é a Vancouver que vi.

Brownie de grão-de-bico

6.10.14

Eu queria era falar de política. Soltar os cachorros. Mas ando com preguiça de terminar várias amizades (afinal, quase não há debate saudável. O que há é troca de farpas).

Então, vou falar de comida. Pensar em comida. Melhor do que ter um ataque cardíaco. Aliás, a receita em questão é ótima para momentos como este. Quando tudo o que você mais quer (já que não pode dar uma chacoalhada nas pessoas) é comer doce para esquecer. Funciona com a TPM (então, deve funcionar para aguentar os posts sem noção).

Então, que tal um brownie saudável? Sim, isso existe. Graças à incrível Bela Gil.

Confesso que às vezes as receitas dela me dão medo. Parecem difíceis. Pior: parecem sem gosto, sem graça.

Mas a danada sabe o que faz. Ah, e o melhor. É bom que só. Nem parece comida natureba. Se joga!

Melhor carne moída (e molho bolonhesa) ever

2.10.14

Carne moída é a típica comida de vó. Você come e lembra da infância, das brincadeiras de rua, das férias... Sente-se acolhida, abraçada, confortada. O coração bate feliz.

Como é que uma carne refogada pode nos fazer sentir assim, eu não sei. Só sei que é assim que funciona. Minha irmã Carol também ama carne moída! Por isso, esta receita vai especialmente pra ela.

Requeijão caseiro

9.9.14


Eu sei. Está virando um vício. Mas tenha dó. É um vício bom. Substituir algumas coisas que compramos no mercado por uma versão feita em casa é algo positivo.

Primeiro, porque é simplesmente demais cozinhar certas coisas que, à primeira vista, parecem difíceis - ou até impossíveis (você prefere pagar a gastar horas tentando reproduzi-las).

Depois, e mais importante, é demais ter controle sobre o que você consome. Não se entupir de químicos, conservantes, ingredientes artificiais... Tá. Nem sempre você está livre disso. Mas que dá uma sensação de empoderamento, ah, isso dá!

Berinjela com buttermilk

7.9.14

De novo ela. A tal da berinjela me persegue. Na verdade, EU a persigo. É um verdadeiro caso de amor - de outro mundo. O amor entre uma humana e um legume.

Talvez, depois de provar esta receita, vocês me entendam - e parem de pensar que sou louca. Impossível não ficar obcecada depois de comer esta delícia. Prometo.

Azeitonas marinadas

1.9.14

Eu AMO azeitonas. Amo.

Verdes, pretas, com ou sem caroço, fatiadas ou inteiras. Sou capaz de comer um vidro inteiro em cada refeição. Tenho certeza de que tem a ver com o fato de serem salgadas (quem me conhece sabe do meu vício por sal). Então, sempre quero colocar azeitonas em tudo.

Ou servi-las como entrada. E, quando as sirvo, não é por preguiça ou praticidade. É porque as amo. Loucamente.

Azeite de urucum

27.8.14


Prazer.

Meu nome é Bixa orellana. Para os íntimos, urucum.

Garota eu vou pra Califórnia...

18.8.14

Eu adoro um álcool. Quem me conhece, sabe. E bebo de tudo, sem muitas frescuras. Mas uma das minhas bebidas favoritas, ultimamente, é o vinho.

Ele está presente em quase todos os jantares que faço (e, nesta idade, o programa favorito da galera é se reunir para comer! Então já viu... Rs). Tudo isso para falar sobre os vinhedos na Califórnia - e o que me motivou a ir para lá.

Olha. Nunca imaginei que uma viagem para vinhedos poderia ser tão boa. Boa nada. Espetacular. Foi uma das melhores férias da minha vida!

Bolinho de batata doce

17.8.14


Esta receita é incrível. A batata doce dá um bolinho surpreendente, macio, saboroso. E o molho de acompanhamento causa uma explosão de sabores na língua. E é por isso que eu amo o Ottolenghi, autor da receita.

Ele faz mágica com as verduras. Over and over. Não tem uma receita dele que seja mais ou menos. Todas são absurdamente maravilhosas! Sério. Daria para viver de verduras.

Bolo de chocolate da Pioneer Woman

11.8.14


Bolo de chocolate nunca é demais. Por isso, provavelmente vou passar o resto da minha vida testando novas receitas. Afinal, como colocar um ponto final em uma busca tão deliciosa e declarar: esse é o bolo perfeito? Nem!

Prefiro seguir assim. Sempre insatisfeita. Pelo menos quando o assunto é bolo de chocolate.

Eu adoro esta receita, mas, sabe, ainda não é the one.

Boeuf borguignon

8.8.14

Estou me achando. A-chan-do. Fiz bouef borguignon!!! E ficou bom! :)

Mas devo confessar. Ele me aterrorizava. Principalmente depois que assisti ao filme Julie & Julia.

Ele conta história de Julia Child, uma grande cozinheira americana, que introduziu a culinária francesa nos Estados Unidos, e de Julie, uma jovem americana de classe média que decide testar todas as receitas do livro de Julia em um ano.

A receita de alguma forma marca a vida das duas cozinheiras. No caso de Julia, porque é o boeuf que conquista uma editora e garante a publicação de seu primeiro livro de culinária, Mastering the Art of French Cooking. Já Julie prepara essa receita para receber uma jornalista que vai entrevistá-la sobre sua empreitada.

Bruschetas de tomate e berinjela

4.8.14

Elas são práticas. Simples. Só dependem de um pedaço de pão, um dente de alho e alguma coisa para colocar por cima.

Também sabem ser complexas, chiques e finas. Mas, no meu momento atual, fico com a praticidade. A receita é da Ju (já conhecida aqui no blog).

O Cerrado na Cozinha

2.8.14


Há pouco mais de um ano, nascia o Minha Atual Obsessão. A ideia era (ainda é) falar sobre tudo aquilo que me apaixona – ao contrário do Perdeu, Playboy, voltado exclusivamente para relacionamentos e para a interação homem-mulher (aliás, um tema que também me apaixona – e me intriga. Muito).

Apesar das viagens serem uma grande obsessão, quem me acompanha sabe que gasto a maior parte dos meus posts para falar sobre comida.

Acho que é fácil entender. Afinal, viagem a gente faz duas, três por ANO. Comer? No meu caso, ao menos seis vezes por DIA! Como não ser absoluta e incrivelmente obcecada?

Cheesecake de maracujá

21.7.14

 
Eu sempre achei o maracujá muito desvalorizado. E nunca entendi o porquê. Tudo bem. Não é uma fruta "típica", daquelas que você senta e come diretamente. Mas o suco é delicioso.

E melhor ainda é o maracujá em doces. Como ele é azedinho, neutraliza o açúcar e ainda dá um toque de frescor à sobremesa. Impossível não se apaixonar! Ainda mais neste caso.

Bolo fatias do céu

10.7.14

A receita de hoje é um clássico. Um clássico dos clássicos. Aquele bolo que como desde quando me entendo por gente.

Bolo com gosto de chuva no rosto, amarelinha, elástico, pingue-vôlei, bete. Pique-esconde, rede na árvore, truco, paquitas, festas de fim de ano entre vizinhos. Infância pura. Amigos. Diversão. Família.

Bolo de banana do Rodrigo

9.7.14

Foi só eu postar aquela torta preguiçosa de maçã para o Rodrigo se manifestar. Ele tem uma receita bem parecida, só que com bananas, uma paixão nacional! Sério, como não se animar?

Quem não quer um bom bocado fácil e saboroso? Eu ainda não provei, mas já entrou pra minha to do list. Se testar, me conta?

Pão de banana

8.7.14

Engraçado como as receitas vêm parar na nossa mão. Eu, que tenho pânico de fazer pães, porque acho que sempre vai dar errado, de repente esbarrei com esta receita na Internet. Em um site um tanto improvável. Um site de moda, o Achados da Bia.

E, movida por uma sensação de "se alguém que nem cozinha tanto pode fazer pão, eu também dou conta", resolvi arriscar. E não é que a surpresa foi das melhores? Ele é quase um bolo: na textura, no visual, no paladar. E não requer nenhuma habilidade especial para ficar perfeito (nem mesmo sovar!!)!!

Como não amar?

Cheesecake no potinho

7.7.14

Se tem um doce do qual não me canso nunca é cheesecake. E, desde que nos conhecemos, há quase duas décadas, durante um intercâmbio, tornamo-nos inseparáveis!

Ele é perfeito, de baixo até em cima. Aquela base de biscoito é simplesmente perfeita. Só perde pra massa podre. O recheio com cream cheese... Para! E a geleia por cima? Caseira ou não, ela ganha vida ao se misturar com os demais ingredientes.

A versão tradicional, feita no forno, é espetacular! Mas também adoro as receitas que não precisam ser assadas! Afinal, praticidade é tudo na vida de uma pessoa!

Torta de maçã preguiçosa

29.6.14

Tem dias em que nós, mulheres, PRECISAMOS de doce. É quase como se estivéssemos doentes e ele fosse o único remédio possível. Em alguns casos, é "doença" mesmo. Quem passou por uma TPM brava sabe do que estou falando.

Em outros momentos, o corpo simplesmente pede. Seja como for, o mais sábio é providenciar logo um doce. Você não vai querer brigar com uma mulher desesperada por açúcar.

Muffin de mirtilo

26.6.14

Eu adoro bolos! Poderia comê-los todos os dias.

Imagina só acordar um dia e devorar um fatia de cenoura com chocolate e, no dia seguinte, ter diante de si um bolo de mandioca?

E não estou nem aí se engorda. É bom demais. Além do mais, parece que cura também coração partido. Melhor, impossível!

Steak au poivre com penne gratinado

16.6.14

Eu adoro o Claude Troisgros! Ele é simplesmente hilário! A melhor parte do programa é quando ele precisa falar alguma palavra com 'r'. Tipo frrrrrrrrraaaaaaaaaaaaaango.

É uma delícia ver o 'r' dele se arrastando, escorregando, se esticando todinho até não poder mais.

Mas ainda melhor, claro, são as receitas. Especialmente esta. Filé com penne é daquelas refeições que, apesar de terem um refinamento próprio, nos lembram comida de vó da melhor qualidade.

O mago das verduras

14.6.14

Eu sou apaixonada pelo Ottolenghi. Já falei dele aqui no blog. E também postei uma receita absolutamente inacreditável do cara: a torta de alho caramelizado (uma das melhores coisas que já comi na vida).

Mas, ontem, ele me surpreendeu. Mostrou que não está aqui de brincadeira. E que é um chef de primeira - além de muito original.

China: imperdível!

8.6.14

Eu nunca imaginei ir para a China. Não porque me parecia um destino chato. Simplesmente porque não me atraía. Tinha outras prioridades!

Comecei a pensar nas minhas férias deste ano e China não estava entre as opções. Até que meu pai veio com essa proposta. Queria mesmo viajar com companhias diferentes e topei.

No início, fiquei com medo de minha decisão. Viajar com os pais E ir para a China parecia um tanto ousado. Mas foi só começar a pesquisar que vi que tinha tomado a decisão certa! Comecei a me apaixonar pela China!

Tomate seco

4.5.14

Comer fora é bom. Comprar comida pronta é uma mão na roda. Mas tudo isso pode virar um pesadelo. Por quê? Eu explico.

Você passa anos da sua vida comendo os pratos maravilhosos da sua mãe, apurando seu paladar, cada dia mais fino e de bom gosto, para aceitar que chamem qualquer gororoba de alimento (bom, quem nunca comeu coisa boa em casa está desculpado e não precisa "comprar" esta briga. Rs). Quando como fora, quero algo que eu não saiba cozinhar. Ou, então, algo delicioso. Que deixe uma marca. Que faça a diferença. E que não me deixe irritada na hora de pagar a conta. Só que isso está cada vez mais difícil.

Salada de repolho cozido

16.4.14

Conheço a Pri desde a faculdade. Linda, inteligente, talentosa. Muitos predicados. Só nunca imaginei que entre tantas qualidades estava a paixão pela cozinha.

Acho que é assim com frequência. Conhecemos a pessoa superficialmente, não nos aprofundamos. Falta de tempo? Disposição? Abertura da pessoa? Nossa? Sei lá. Sei só que é uma pena. Quanta gente bacana passa pela sua vida e você nem percebe?

Brownie de nozes com caramelo salgado

14.4.14

Aposto que você perdeu a compostura só ao ler o título. É que brownie é uma delícia. E ainda com creme de caramelo por cima? (Baba, baby, baba!)

Jogo baixo, eu sei. Ainda mais porque muitas de nós vivemos de dieta (toda mulher sempre quer perder dois, três quilos), controlando calorias e preocupadas com o botão da calça, que teima em nos dizer que estamos perdendo a batalha.

Pão de queijo da Ju

8.4.14

Eu amo pão de queijo. Amo de um jeito inexplicável. Amo de um jeito quase estranho.

Pão de queijo pra mim não tem hora. É bom de dia, de tarde, de noite, de madrugada. Serve para quando bate a fome ou mesmo naqueles momentos em que a barriga se contorce de tão cheia que está.

Honestamente, poderia viver de pão de queijo. Troco por qualquer outro prato, sem pestanejar (quer dizer, menos por farofa, que é tão maravilhosa quanto). E quentinho com manteiga... Sério, é delírio na certa. Sou viciada, apaixonada, alucinada por pão de queijo.

Pudim de leite condensado

27.3.14

Eu já tinha desistido de fazer pudim em casa. Pô, sempre dava errado caramelizar a forma. Ou então o pudim ficava feio, cheio de bolhas e com um sabor ok, nada memorável. Absolutamente irritante.

E, sabe, é pudim. A sobremesa mais (ou uma das mais) idolatrada pelos brasileiros! Como assim não dou conta de fazer em casa? A revolta era tamanha que parti pra ignorância. Resolvi comprar pudim pronto. O lance foi que me surpreendi. Achei um realmente bom. Sem bolhas. E saboroso até o infinito. Passei a comprá-lo pra festinhas, pra casa...

Torta de liquidificador

25.3.14

Se tem uma coisa que eu prezo muito é praticidade. Praticidade na vida, nas relações (eu sei, é difícil), no trabalho (mais difícil ainda)... E por que não na cozinha?

Pra mim, comida boa é aquela saborosa e simples. Detesto coisa que exige trabalho dobrado. Simplesmente não vale o esforço.

Cheesecake de chocolate e caramelo

19.3.14

Vou dizer uma coisa. Acho um absurdo termos por aí tantos cozinheiros de bom gosto. Os caras vão lá, inventam uma receita maravilhosa e depois acham que a vida das pessoas comuns serão as mesmas do que antes (pior que as receitas mais incríveis sempre vêm acompanhadas de fotos escandalosamente bonitas e convincentes).

Não, não, não, meu senhor.

Toda vez que um de vocês inventa uma receita top e a coloca à disposição dos pobres mortais, pode saber que, mais dia, menos dia, ela vai chegar às mãos de alguém e alguém e alguém e, um dia, vai parar na minha. E aí, o que me resta fazer senão testá-la?

Granola de brownie

17.3.14

Esta é especialmente para os chocólatras de plantão. Os chocólatras que querem alimentar seu vício, constantemente, mas com a garantia de não engordar nesse processo. Ou para aqueles que detestam a sensação de culpa que vem depois da saciedade.

Essa receita tem duas facetas lindas. Quer dizer, três.

Bolo de cenoura: minha receita favorita

10.3.14

Se tem uma coisa que eu aprendi sobre o bolo de cenoura é que ele é sempre bom. Sempre alegra. Sempre me deixa nostálgica, com a mente cheia de deliciosas lembranças da infância/adolescência. Com ou sem calda, bolo de cenoura é sempre um acerto. Seja você nova, madura ou bem curtida.

E outra coisa que descobri. Não há só uma receita campeã. Eu já coleciono três imperdíveis. Boas do início ao fim, da casquinha da borda, mais coradinha, ao centro molhado, laranja de tudo. Esta é a última das três. A mais recente. Minha mais nova descoberta.

Não sei se foi porque ela saiu tão perfeita da forma, tão redondinha, tão laranja... Só sei que caí de amores.

Tres Leches

23.2.14











(Foto da internet! Não é propaganda enganosa)

Tenho quase certeza de que fui mexicana em alguma reencarnação. Adoro o país. As cores. Os cheiros. A felicidade pulsante. A Frida Kahlo. E a comida. Óbvio.

Nem toda comida mexicana (pra valer) me agradou. É verdade. Fiz cara feia pra muita coisa. Muita fritura. E muita carne estranha. E vi que é tudo bem mais apimentado e cheio de feijão do que imaginamos (pelo menos, em comparação ao que temos de mexicano no Brasil).

Ainda assim, o México mora no meu coração (isso também se aplica à comida deles).

Bolo da vó

12.2.14

É sempre bom lembrar: nem todo mundo sabe cozinhar.Tem gente que mal frita um ovo. O que não é um problema, obviamente, já que tem muita oferta de comida pronta por aí (o que não quer dizer que tem muita oferta de comida BOA. Mas isso é assunto pra outro post)!

Mas verdade seja dita. Até quem sabe cozinhar, comete deslizes. Imagina então quem se aventura raramente na missão? Por isso, sempre que vejo dicas por aí, interesso-me em lê-las (é um hobby egoísta, admito. Sou uma pateta na cozinha e as dicas me ajudam muito). Com o blog, agora posso compartilhá-las!

Pão de couve

11.2.14

Aposto que tem muita gente fazendo cara feia para o título. Eu sei. Couve não é exatamente o ingrediente mais saboroso do mundo (a não ser aquela refogada no alho, acompanhada de uma boa feijoada). Muito menos no pão. Pra gente, pão combina com queijo, com ervas, com calabresa, mas não com couve. É por isso que, desta vez, fiz questão de começar pela foto.

Geleia de tomate

6.2.14

É verdade. Ela não é nem um pouco tradicional. Onde já se viu geleia de tomate?

Tudo bem que, para grande parte do mundo, o tomate é fruta. Assim, faz sentido virar geleia. No Brasil é que temos essa mania de tomate como verdura, na salada. :)

Devo confessar que a gente manda muito bem! Como ele fica bom na salada!!! Mas a geleia é interessantíssima. E exige mais tempo no fogo do que exatamente dons culinários apurados! Que tal dar uma chance a ela?
Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial