Couve-flor assada

20.10.14

Sabe aquele prato que só a sua mãe sabe fazer? Um bolo. Uma torta. Um assado. Inexplicavelmente bom, ele era (é) motivo de briga entre os irmãos.

Eu tenho a memória recheada de receitas marcantes. Mas nada que tenha gerado briga, afinal minha mãe sempre cozinhou quantidades inenarráveis de comida (apesar disso, cobrava com ardor que fôssemos todas magras).

Quando penso em uma receita que vale uns bons tapas (rs), imagino alguma coisa com calda de chocolate. Ou uma massa afogada em um molho dos deuses. Ou uma costelinha com farofa. Mas, acredite se quiser, há quem brigue por verdura.

A pacata e surpreendente Vancouver

6.10.14

Eu esperava chegar lá e encontrar uma cidade grande. E o que encontrei foi uma cidade relativamente pacata, com ares de interior.

Esperava uma cidade recheada de restaurantes maravilhosos. Mas pouca coisa surpreendeu meu paladar.

Esperava ver uma cidade verde. Certo, em partes, graças ao lindo Stanley Park.

Imaginava uma cidade bem cuidada. Mas vi muito mais gente dormindo na rua do que poderia imaginar.

E tinha também o cheiro de maconha. Por todas as partes.

Essa é a Vancouver que vi.

Brownie de grão-de-bico

6.10.14

Eu queria era falar de política. Soltar os cachorros. Mas ando com preguiça de terminar várias amizades (afinal, quase não há debate saudável. O que há é troca de farpas).

Então, vou falar de comida. Pensar em comida. Melhor do que ter um ataque cardíaco. Aliás, a receita em questão é ótima para momentos como este. Quando tudo o que você mais quer (já que não pode dar uma chacoalhada nas pessoas) é comer doce para esquecer. Funciona com a TPM (então, deve funcionar para aguentar os posts sem noção).

Então, que tal um brownie saudável? Sim, isso existe. Graças à incrível Bela Gil.

Confesso que às vezes as receitas dela me dão medo. Parecem difíceis. Pior: parecem sem gosto, sem graça.

Mas a danada sabe o que faz. Ah, e o melhor. É bom que só. Nem parece comida natureba. Se joga!

Melhor carne moída (e molho bolonhesa) ever

2.10.14

Carne moída é a típica comida de vó. Você come e lembra da infância, das brincadeiras de rua, das férias... Sente-se acolhida, abraçada, confortada. O coração bate feliz.

Como é que uma carne refogada pode nos fazer sentir assim, eu não sei. Só sei que é assim que funciona. Minha irmã Carol também ama carne moída! Por isso, esta receita vai especialmente pra ela.