Obrigada, 2014

31.12.14

Eu não comprei um carro novo. Não fui morar em um apartamento maior. Não construí uma casa, nem reformei a atual. Não troquei de emprego. Não fui promovida. E nem obtive reconhecimento profissional.

Não fui pedida em casamento. Não juntei. Nem me apaixonei.

Não engravidei, nem tive filho. Não plantei árvore. Não resisti (pela enésima vez) e tranquei a academia. Não perdi um quilinho sequer. Nem avencei no projeto "seque sua barriga". Pelo contrário.

Brownie definitivo: o melhor da história

29.12.14

Ca-ra-le-ô. Estou sem ar. Acabo de fazer história. História!

Encontrei a receita definitiva de brownie. Tudo bem. Meu mérito foi só achá-la (e testá-la). Mas isso já deve ser considerado um feito.

ACHAR a receita definitiva de uma receita tão popular, tão diversa, com tantas possibilidades é inacreditável. Estou absofuckinglutely feliz! :)

Bolo fofíssimo de chocolate

28.12.14


Esta é uma daquelas receitas simples. Simplérrimas. E que acalmam o coração. Apesar de não ter calda. Ou recheio. Ou leite condensado. E, em vez de leite, leva água.

Bolo de amêndoas com tangerina: um Feliz Natal!

23.12.14


O Natal é, sem qualquer sombra de dúvida, minha data favorita do ano. Ganha disparado até mesmo do dia do meu aniversário.

Não que tenha horror a celebrar a data em que nasci (na verdade, gosto muito!). Ou que eu tenha qualquer trauma com o dia. É que o aniversário tem um quê de egoísmo. É o SEU dia. Todo mundo TE liga. Legal, massa. Bom se sentir amado, lembrado.

Mas no Natal... É o dia em que TODOS celebramos juntos o nascimento de uma outra pessoa especial. Nos abraçamos. Comemoramos o milagre de estarmos vivos. Comemos. Bebemos. Comemos. Comemos um pouco mais (ai, meu estômago). Trocamos presentes (o que, com o passar dos anos, muda de significado. É menos sobre o presente e mais sobre a troca em si). Sei lá.

Cookies não assados

22.12.14

Antes que você faça cara feia para o título, pense bem. O que você acabou de ler não é nojeira ou nonsense. É praticidade. Eficiência. E a oportunidade de ter prazer de imediato (como poucas vezes a vida permite). É a chance de comer um biscoito delicioso, com gosto de colo, sem ter que esperar pelo forno (que insiste em nos fazer de bobas).

Lembra como era na infância? A gente morria de nervoso até o bolo de cenoura ficar pronto (e ainda tinha que esperar esfriar pra não ter dor de barriga!)!!

Labneh com pistache

21.12.14


Eu admito. Estou oficialmente viciada em labneh. E olha que começou de maneira despretensiosa. Não era possível prever minimamente que viraria um caso de amor incorrigível.

Acho que tem a ver com o fato de a primeira receita que fiz ser muito complexa. Era preciso comprar o leite de saquinho e os lactobacilos para produzir, primeiro, meu próprio iogurte. Que depois viraria iogurte grego. E que só então viraria labneh. Coisa de uma semana de espera (ainda bem que não sou de roer unhas). Até ver o sonho se materializar.

Comida que não sai de moda

15.12.14

Dia desses fui a um restaurante novo na cidade. Badaladinho. Com uma proposta ousada. Interessante. E dei carta branca ao chef.

Gosto de ser surpreendida, sabe? Ajuda a conhecer melhor o que há por trás de quem cozinha. E me força a provar coisas diferentes. O problema é que o risco é grande.

Lava cake

11.12.14


Esta receita estava no fim da lista de posts a serem publicado. Não porque é a mais fraca das elencadas. Mas sim porque foi a última que testei (tirada do livro da Rachel Khoo, A Pequena Cozinha em Paris). Então, por respeito às demais, ela foi parar no fim da fila.

Compota de tomate-cereja e baunilha

9.12.14

A gente tem um monte de ideias pré-concebidas. Isso não pode. Isso não faço. Isso não combina com aquilo.

E é assim na vida, no trabalho, no amor. E na cozinha.

São vários nãos antecipados. Que fecham um monte de portas. Com certeza, fica de lado alguma experiência desagradável, o que é bom. Mas também perdemos coisas lindas. Essa poderia ser a história da receita de hoje.

Geleia de manga, maracujá e limão

8.12.14

Tem algo de mágico em fazer geleia. É quase uma gravidez (rápida, é verdade, se comparada à tradicional), com direito a parto e tudo. No início, são frutas lindas, maduras. Minutos (ou horas) depois, elas se transformam em uma calda espessa e luxuosa. É incrível demais vê-las ganhando novas formas.

O processo me traz tanta felicidade que tenho vontade até de me banhar em geleia. :)

Bacalhau do Velho Macedo

2.12.14


Uma das melhores partes de qualquer viagem é a comida. Sou quase obcecada com provar coisas novas, sentir aromas diferentes, testar combinações exóticas... Pra isso, é legal se planejar.

Não quer dizer que quem não se organiza obrigatoriamente come mal. Mas eu prefiro não contar com a sorte. Também não estou falando em determinar, antes de sair de casa, exatamente onde vai se fazer cada refeição. Menos. Basta pegar dicas com quem já esteve no lugar, ler um guia, fuçar blogs... E sair de casa com uma lista básica (de preferência, separada por bairros)! Assim, dependendo de aonde estiver passeando, já sabe o que tem de legal na região.