Massa fresca com alho e queijo

25.12.15

Cada vez mais tenho prazer em procurar receitas deliciosas que não levam carne. Não, ainda não decidi voltar a ser vegetariana (pois é, dá para acreditar que eu já fui? Foram três interessantes anos!), mas acho, primeiro, o desafio muito bom. Dissociar sabor de carne. Segundo, tenho a sensação de que é comida mais saudável ou, ao menos, menos pesada. Tenho, desde nova, dificuldade em processar carne, principalmente, a vermelha.

E a desculpa perfeita é receber alguém vegetariano em casa. Não tem escapatória. Quer dizer, você pode fazer vários pratos e satisfazer todo o tipo de clientela, mas hoje prefiro reduzir a quantidade de trabalho - e de sobras.

Lançado o desafio, sai à caça.

Nova York: onde comer

20.12.15

Nova York é uma cidade grande, enigmática, densa, apaixonante. Cai bem para os mais diferentes grupos, estilos, momentos de vida... E eu, que adoro viajar, fiquei muito tentada a fazer um guia da cidade, com tudo o que há de melhor por lá.

Imagina juntar tudo de legal que já indicaram a você sobre a cidade e somar com os locais que você descobriu? E ter em mãos um documento que garantiria passeios sempre certeiros?

O problema é que, exatamente por ser uma cidade enorme, que agrada a quase todos os gostos, é que Nova York não pode ser enclausurada em guia, reduzida a uma lista de locais - fora que tem sempre muita coisa abrindo, fechando... Além disso, acho que ela é a cidade com o maior número de guias, sobre a qual mais pessoas escreveram.

Por isso, é que resolvi apenas indicar alguns restaurantes que deixaram uma doce marca no meu coração.

Torta de chocolate indecente

19.12.15

Não tem outro adjetivo. É indecente. Indecente mesmo. Basta olhar para a foto. Verdade? É daquelas sobremesas que não precisam de explicação. Só não sei por que levei tanto tempo para descobrir esta beldade.

Tenho certeza de que antes mesmo de eu gastar minha lábia para convencê-lo a fazer essa delícia em casa você já se convenceu. Por conta própria. Mas espera que tem mais.

Bolo de banana caramelizada

18.12.15

Já deu para perceber que sou completamente viciada em bolo, né? Pior que parece que não chego a um fim de linha, no que diz respeito à procura pelo bolo perfeito (existem vários! Dia desses uma amiga até listou nosso top 10). Não basta o tanto de receitas maravilhosas que já achei - e que fazem parte da minha vida. Eu quero mais, mais e mais!

Bolo de cenoura com especiarias

14.12.15


Tem muito tempo que conheço o bolo de cenoura americano. Quer dizer, não conheço, conheço, para ser bem sincera. Ouvi falar, vi gente comendo na minha frente e até fui convidada a prová-lo, mas nada.

Coisa de menina fresca. E chiliquenta.

Não sei dizer por que, mas sempre fiz cara feia para ele, desde o início.

Sei lá. Um bolo de cenoura que não é laranjinha e que não tem uma calda indecente de chocolate por cima não é algo confiável. Convenhamos. Você também ficaria com os dois pés atrás.

Mas aí, um dia, uma amiga resolve pedir o tal bolo de sobremesa em um restaurante árabe. Sim, você leu direito. Sobremesa! Eu, claro, me achando a esperta, caí fora e resolvi pedir trufas de chocolate com pistache.

Mal sabia eu o que estava perdendo.

Panquecas americanas

10.10.15

Confesso que não sou muito chegada ao café da manhã norte-americano. Aquele tanto de ovo, bacon, carne, batata etc. não me enche os olhos. Pelo contrário, embrulha o estômago. Com certeza, é algo cultural. Acostumada a comer frutas, pão com queijo, tapioca, um suco ou leite, seria mesmo difícil achar aquele tanto de comida pesada, logo cedo, algo emocionante. Mas tem uma coisa que eu amo. Panquecas.

Não sei se pela maciez. Não sei se pela delicadeza. Não sei se pelo maple syrup (xarope de bordo), que sempre as acompanha. Sei que sou louca por panquecas! O que não quer dizer que dou conta de devorar as porções servidas por lá (uma, aliás, já me satisfaz)!

Granola da Sheylinha

23.9.15

A Sheylinha é minha colega desde a faculdade, mas só recentemente entrou numa vibe super natureba, de se cuidar, de se preocupar com o que come - e por causa disso começou a cozinhar (vivi algo muito parecido!)!!! Trocando figurinhas, acabamos trocando receitas de granola!

Segue, então, o relato dela e a receita! Não deixem de provar! Esta granola é uma delícia!

Molho de tomate falsificado

22.9.15

Minha dieta atual é muito doida. Entre os itens proibidos, estão alimentos acima de quaisquer suspeitas, inofensivos até a raiz! Por exemplo, mamão, pepino, berinjela, batata.

Quer dizer, são alimentos aparentemente inofensivos. Pelo visto, não fazem bem para mim, ao menos na minha fase atual (a tese do meu nutricionista é de que, em momentos desequilíbrios, nosso corpo não processa certas coisas, mas, voltando ao normal, podemos comer de tudo. Pensa no quanto estou rezando para que o tal desequilíbrio cesse já?!).

Enfim, enquanto perdura a dieta, preciso fazer malabarismo. Eliminar o que seria tóxico para mim e investir no que desce suave. Só que, confesso, não é nada fácil.

Bolo de pão de queijo

21.9.15

Pão de queijo, sem sombra de dúvida, é coisa de Deus. Não tem outra explicação. Como uma comida pode ser tão, mas tão boa? É sério. Já pensei várias vezes sobre isso (e sempre a conclusão é a mesma).

Eu sou completamente viciada nele. Principalmente, se ele estiver recém-assado.

Tem como olhar aquela bolinha amarela e não derreter feito manteiga? Aliás, a combinação de pão de queijo com manteiga é indecente. In-de-cen-te! Passo mal só de pensar.

Aí, como se não bastasse meu vício assumido e consumado, vem um louco e me inventa a versão rápida do pão de queijo. "É só bater no liquidificador". Exatamente! Só ba-ter no li-qui-di-fi-ca-dor!!! Pelo amor... Como alguém pode ser tão mau assim? Simplesmente me afundar ainda mais na minha obsessão? Agora, me conta como faço para seguir uma dieta e não viver de pão de queijo para o resto da vida? Sei. Não é problema seu, né?! Tudo bem me jogar na latrina e depois dar de ombros.

Naked cake de chocolate da Dani Noce

16.9.15

Eu sempre quis fazer um bolo naked. Sempre. Mas também sempre tive medo de não dar certo. Curioso isso.

Eu adoro cozinhar, sou destemida, aventureira. E algumas receitas simplesmente me aterrorizam. Pior que nada mais é do que o simples medo de errar. Não por mim, mas pelos outros. De verem (e jogarem na minha cara) que não ficou tão bonito quanto o naked de outro site. Ou que não ficou tão apetitoso. Medo de ser julgada pelos outros. Quanta besteira.

Só porque eu conheço alguém que foi lá, fez e acertou, fico com medo de fazer e dar errado. Mas sabe de uma coisa? Eu preciso olhar apenas para dentro de mim. Olhar, por exemplo, o antes e depois. Neste caso, o primeiro naked que fiz (que ficou um horror, caindo pelas tabelas, mas ainda assim gostoso!) e este aí. Esta belezura.

Bolo de limão e iogurte

25.8.15

Eu vivo tentando decifrar minha tênia. Saber o que tanto deseja. Com o que sonha. Pelo que suspira. E pior que ela é profissional: não adianta enganá-la com uma comida mais ou menos. Paladar fino, sabe?

A sensação que tenho é que, com o tempo, ela foi ficando cada vez mais exigente! Não sei se é a velhice ou se ela sempre foi assim rabugenta, mas nunca tinha colocado as asinhas de fora dessa forma...

A bicha é definitivamente uma reclamona, cheia de personalidade. Tem até nome! Dá pra crer? Pior. Olha o nome: Roberval. É. Roberval. Tipo homem. Uma tênia com nome de homem.

Enfim, ainda bem que minha mente é fértil e encontro sempre uma forma de surpreender o Roberval. Como ele é chegado em bolos, já sei como ganhá-lo de jeito! E foi assim que cheguei a esta deliciosa receita.

Musse de chocolate preto e branco

18.8.15


Receitas de musse existem aos montes. E acho que nunca comi nenhuma horrenda. O que não quer dizer que não haja aquela especial.

Esta dá um pouco mais de trabalho. Tem mais ingredientes, algumas etapas a mais, mas é incrível. Diferente da maioria. Mesmo. Leva conhaque, chocolate branco e preto, cacau em pó... Um achado!

Bolo de banana da Monjolo

4.8.15


Não sei se já aconteceu com você. De passar uma eternidade procurando uma receita. Não uma receita qualquer, claro. Aquela receita. A que tira você do sério. Que a faz se lembrar de um tanto de momentos felizes. Sorrir à toa. Levantar e sair dançando, mesmo no trabalho.

É claro. Essa pode ser uma missão impossível. Naturalmente, quem  inventou o segredo não vai revelá-lo nunca, nem sob tortura. Então, só resta a você confabular, consultar sites e dar um jeito de descobrir a mágica.

Eu, há anos, tentava descobrir a receita do bolo de banana da Monjolo, uma loja que vendes lanches. E nunca dei sorte. Nada se aproximava do tal bolo. Até uma semana atrás.

Bolo de maracujá

27.7.15


Fazer dieta não é fácil. Não importa qual delas você escolha, a ideia básica se aplica a todas: deixar de comer o que você mais ama. Ou seja, sofrimento garantido desde o dia 1.

Por isso, muita dieta não vinga - ou vinga por um curto espaço de tempo. Pensamos: a vida é curta e quero mais é viver feliz. E, aí, tchau proibições.

No início, é massa. Somos só sorrisos. Depois, voltam as dores, o incômodo, o inchaço... e as roupas teimam em não fechar. Conclusão? Bora fazer dieta!

Frango ao molho de limão da Katie

26.7.15


A Katie é uma fofa.

Tira umas fotos incríveis (de comida, o que é dez vezes mais legal), é linda e ainda cozinha. Ainda bem que ela mora na Austrália. Detesto concorrência de nível!

Logo que descobri o blog da Katie, naqueles acasos da vida (pra quem acredita neles), descobri que ela estava para lançar um livro com suas receitas favoritas (prontamente adquirido). Só tinha em inglês (tudo bem, vamos lá). Meses depois é que o Panelinha lançou a edição em português (que acabei comprando também. Eu sei. É um vício). Pena que ainda não testei muitos dos pratos.

A verdade é que tenho tantos livros que mal sei qual "enfrentar" primeiro. Fico querendo fazer um pouco de cada, desvendar o jeitão de cada chef e acabo não devorando nenhuma obra por inteiro. Bom, funciona pra mim. O cozinheiro, o livro e a receita do dia variam conforme meu humor - e o que tem na despensa, claro.


Macarrão com abóbora assada, alho e limão

21.7.15


Alguém pode me explicar por que passei tanto tempo longe da cozinha?

Tudo bem. Primeiro, veio a dieta restritiva, quase mortal. Tipo: é só ficar sem comer tudo aquilo que é gostoso que você vai melhorar desse mal estar aí. Jura? Se eu só comer folha e legume sem graça, cozido em água e sal, eu não sentirei o estômago revirar? Palmas para você.

Depois, veio a correria. E é sempre assim: quando as coisas apertam, a primeira coisa que fica de lado, normalmente, é o que a gente mais gosta de fazer, mas acha que, como é só hobby, é algo dispensável, pode ficar para outro dia - e que a obrigação , essa sim, tem que vir antes de tudo. Só não pensamos em como nos afastar do que nos faz bem pode trazer tantos prejuízos...

Salar de Uyuni e um coração feliz

20.6.15


Bolívia, obrigada.

Obrigada por me permitir visitar lugares tão intocados. Por experimentar um tipo de encantamento raro de se encontrar hoje em dia. Por presenciar os milagres de Deus. Eu nunca vou esquecer nosso tempo juntos. Ainda hoje, só de olhar as fotos, consigo sentir a mágica e pureza das suas paisagens. Consigo reviver os momentos felizes vividos. E até sinto meus olhos se encherem de lágrimas. Felicidade em estado bruto. Você me tocou de um jeito que não achei que fosse possível.

Digam o que quiserem. Reclamem das acomodações e da falta de banheiros. Queixem-se de que da ducha não sai água e, quando sai, é fria. Encham a boca para falar mal dos motoristas, dos carros, do povo caladão. Eu voltaria para visitá-la mil vezes.

Deserto do Atacama

16.5.15


Você quer sair de férias, descansar e escolhe um deserto? Um lugar abarrotado de pó, onde o calor e o frio são intensos, a pele racha antes mesmo de chegar lá e a infraestrutura disponível é mínima?

É. É isso mesmo.

E não pense que sou louca ou gosto de passar aperto. É que as belezas naturais prometidas falaram mais alto. E, bem, eu tinha certeza de que daria conta do tranco.

Foi então que marquei minhas tão sonhadas férias para o Chile. Melhor dizendo: San Pedro de Atacama.

Bolo de laranja com nozes

21.4.15

Não que eu precise ser explícita a respeito disso.

Mas deu vontade.

Imagino que saiba que as receitas postadas aqui são as que deram certo.

Digo isso por dois motivos.

Primeiro, para deixar claro que todos erramos a mão na cozinha, seja por falha nossa (descuido ao executar uma receita ou mesmo falta de técnicas culinárias apuradas) ou da receita (nem sempre nos passam as medidas tintim por tintim. Dá uma raiva!). Por isso, não se sinta culpada porque aquele bolo solou (ou, como diria a Tati, sovou). Apesar de não publicar meus erros, eles são muitos.

Segundo, porque como eu só falo mil maravilhas das coisas que posto, poderia parecer que vivo em um mundo paralelo. Ou que me acho além da conta. Mas não. Apenas posto o que deu certo para poupá-la (e, bem, meus textos são um reflexo do meu humor. Fico incrivelmente saltitante quando provo algo que vale a pena compartilhar).

Tendo dito isso, sinto-me livre para voltar a usar meu discurso Poliana e me derreter por mais esta receita.

Bolo de banana com chocolate dos deuses

4.3.15

Meodeos!!!

Como pode um bolo ser tão memorável? Tão inacreditável? Tão espetacular? Estou chocada. Esta receita é indecente de boa!

Engraçado isso. Eu decidi testá-la simplesmente para não jogar no lixo três bananas maduras que insistiam em figurar na minha fruteira (e já estavam mais pra lá do que pra cá). Sorte? Feeling culinário? Sei lá. Só sei que sou uma mulher feliz.

Muffin de ovo e bacon

27.2.15


Eu amo bacon. A-MO (é por isso, Carlinha, que preciso daquela camiseta!!!!)!

Ô, bicho (insuportavelmente) cheiroso. E saboroso. E sensual (sim, eu acho o bacon sensual).

Por isso, adoro quando o encontro no meio de um prato (tenho muito prazer em devorá-lo).

Eu sei. Ele engorda, entope artéria, é coisa do demo, blá blá blá. Mas sabe? Eu AMO bacon (e creme de leite fresco e manteiga, que fique bem claro). Tendo dito isso, posso passar para a receita de hoje.

Roseta de peixe

19.2.15


Na verdade, o post de hoje não é bem uma receita. É mais uma dica. Um jeito novo de fazer peixe. Aprendi com a Rita Lobo e logo me apaixonei pela técnica! Simples e linda!

E, como tenho me esforçado para comer menos carne vermelha, vale testar qualquer novidade para fugir da rotina culinária (e não cair em tentação)!

Suflê de brócolis aromatizado com limão

17.2.15

Não sei se sou só eu. Mas adoro (A-DO-RO) limão! Não sei se foi de tanto assistir aos programas do Jamie. Ou simplesmente porque limão é bom demais! Só sei que falou em limão, falou comigo!

E é por isso que AMO esta receita! Suflê é tudo. Brócolis é uma delícia. Com limão então...

Bolo de maçã com mel

24.1.15

Então me explica. Explica como um bolo pode ser tão simples e tão bom. Porque foi isso o que senti ao provar esta receita da Rita Lobo.

Sério. Tão diferente. Tão único. Ao mesmo tempo, tão simples. Com ingredientes básicos, comuns. É a mágica da mistura. A mágica da cozinha. Em que o todo é mais forte do que o individual. Em que a combinação, quando bem feita, ganha protagonismo.

Cookies saudáveis pé nas costas

19.1.15

Você vai me agradecer. Esta é a receita mais simples do universo. E com ingredientes básicos, fáceis de conseguir. Aliás, são apenas dois: banana e aveia.

O melhor de tudo é que esta receita é planeta friendly! Você aproveita aquela banana quase preta, que muita gente tem nojo de comer (e que costuma parar na lata de lixo). E fica pronto em dez minutos!

Popover de gruyère

18.1.15


Você talvez nunca tenha ouvido falar de popover. Está perdoado. Eu mesma, que amo cozinhar e adoro uma novidade, também só fiquei conhecendo esse querido há pouco mais de um ano. Graças ao Pinterest (obrigada, mais uma vez!).

Eles são uma invenção americana que não chegou ao Brasil. Uma espécie de bolo macio, leve e oco (tá aqui o seu diferencial). Pense em um suflê que inflou insanamente dentro do forno e depois murchou! É isso aí.

Raspadinha de morango

13.1.15

Eu tentei pesquisar as diferenças entre sorvete e sorbet. E acabou que me embananei ainda mais.

Tudo bem.

Sorvete leva leite ou creme de leite. É mais espesso. Consistente. Gorduroso (ai, que delícia!).

O sorbet levaria água e fruta.

Mas como fica a receita que leva a fruta, mas usa iogurte, em vez da água?

Cogumelos assados com pesto

12.1.15

O post de hoje é mais uma dica do que uma receita propriamente dita. Porque tudo o que você tem a fazer é juntar cogumelos com pesto e assar. Fácil, prático, saudável, saboroso. E, como já tinha pesto em casa, foi mão na roda.

A dica é da Bela Gil.

A diferença é que ela fez um pesto especial para rechear esses cogumelos - que é interessantíssimo e ainda vai ser testado por mim. Interessante porque ele não leva queijo, nem nozes. E ainda assim parece perfeito! Se você tiver pesto em casa, faça com o que tem.

Biscoito amanteigado de chocolate

11.1.15

Biscoito é legal. Ajuda a matar a fome rapidinho. De uma maneira divertida (e, às vezes, saborosa). Acho que é por isso que a gente tem sempre algum guardado no armário.

O problema é que eles são pequenas bombas. Principalmente, os recheados. Vêm carregados de açúcares, gordura saturada e com aditivos associados à hiperatividade e ao déficit de atenção. Credo. E tem quem ache que ir ao supermercado é uma coisa segura.

Suco verde

9.1.15

De sorriso a careta (uma bem feia). Meu rosto se transformava radicalmente ao ouvir falar em sucos verdes. Couve bebível? Eca.

Couve, pra mim, só refogada com muito alho e cebola (acompanhada por uma farofinha amanteigada, feijoada, arroz branco soltinho, laranja...). Mas é impressionante como as coisas mudam toda vez que nos dispomos a deixar de lado os preconceitos.

Lisboa: legal, com asterisco

7.1.15


Eu sei de muita gente que vai fazer cara feia para este post. Mas fazer o quê? Paixão não se explica. E eu simplesmente não consigo amar Lisboa. Estive lá poucas vezes, é verdade. Nada que desse pra formar uma opinião definitiva sobre o local (será que isso é possível?). Ainda assim.

Hoje, gosto mais do que gostava antes, verdade. Mas gosto normal. Não amo.

Pasta de berinjela ou babaganoush

7.1.15



Rei. O Ottolenghi é meu rei.

Todas (absolutamente to-das) as receitas dele são perfeitas. Temperadas na medida. Feitas para ressaltar o sabor do ingrediente principal. Cheias de ervas e temperos naturais. Pouco (ou nada de) leite, pouca (ou nada de) gordura. Muita coisa vegetariana. E sabe? Estão entre os pratos mais diferentes e saborosos que já provei na vida.

Então, como não amar?

Crostinis para impressionar

5.1.15


Sempre gasto horas pensando sobre o que servir de entrada. Isso porque gostaria de montar alguma coisa com uma linha de raciocínio, que fizesse sentido do início ao fim. Aquela coisa harmonizada, sabe? Só que sou um fracasso nisso. Meus menus são completamente nonsense.

Então, sabendo da minha limitação, acabo correndo atrás de coisas novas e gostosas - que, muitas vezes, não se dão bem juntas. Fica meio psicodélico, mas tudo bem.

Uma ceia imperdível

3.1.15



Eu sei. Estamos em janeiro e este papo de ceia parece velho. Mas antes tarde do que nunca, né?!

A verdade é que se eu tivesse testado esta receita antes, teria postado imediatamente no blog para, quem sabe, ajudar uma alma em pânico com o preparo do peru ou doida por uma ceia nova. Enfim.
Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial