Bolo de maracujá

27.7.15


Fazer dieta não é fácil. Não importa qual delas você escolha, a ideia básica se aplica a todas: deixar de comer o que você mais ama. Ou seja, sofrimento garantido desde o dia 1.

Por isso, muita dieta não vinga - ou vinga por um curto espaço de tempo. Pensamos: a vida é curta e quero mais é viver feliz. E, aí, tchau proibições.

No início, é massa. Somos só sorrisos. Depois, voltam as dores, o incômodo, o inchaço... e as roupas teimam em não fechar. Conclusão? Bora fazer dieta!

Frango ao molho de limão da Katie

26.7.15


A Katie é uma fofa.

Tira umas fotos incríveis (de comida, o que é dez vezes mais legal), é linda e ainda cozinha. Ainda bem que ela mora na Austrália. Detesto concorrência de nível!

Logo que descobri o blog da Katie, naqueles acasos da vida (pra quem acredita neles), descobri que ela estava para lançar um livro com suas receitas favoritas (prontamente adquirido). Só tinha em inglês (tudo bem, vamos lá). Meses depois é que o Panelinha lançou a edição em português (que acabei comprando também. Eu sei. É um vício). Pena que ainda não testei muitos dos pratos.

A verdade é que tenho tantos livros que mal sei qual "enfrentar" primeiro. Fico querendo fazer um pouco de cada, desvendar o jeitão de cada chef e acabo não devorando nenhuma obra por inteiro. Bom, funciona pra mim. O cozinheiro, o livro e a receita do dia variam conforme meu humor - e o que tem na despensa, claro.


Macarrão com abóbora assada, alho e limão

21.7.15


Alguém pode me explicar por que passei tanto tempo longe da cozinha?

Tudo bem. Primeiro, veio a dieta restritiva, quase mortal. Tipo: é só ficar sem comer tudo aquilo que é gostoso que você vai melhorar desse mal estar aí. Jura? Se eu só comer folha e legume sem graça, cozido em água e sal, eu não sentirei o estômago revirar? Palmas para você.

Depois, veio a correria. E é sempre assim: quando as coisas apertam, a primeira coisa que fica de lado, normalmente, é o que a gente mais gosta de fazer, mas acha que, como é só hobby, é algo dispensável, pode ficar para outro dia - e que a obrigação , essa sim, tem que vir antes de tudo. Só não pensamos em como nos afastar do que nos faz bem pode trazer tantos prejuízos...